Hermann apresenta pesquisa que impressionou o mundo da computação, nesta sexta (18)

Resultado alcançado em parceria com Lew Gordeev, da University of Tübingen, é tema da segunda edição da série de lives do DI

 

No universo da complexidade computacional, há problemas que permanecem por décadas sem solução. E um deles estava há mais de 40 anos em aberto, até que a pesquisa realizada pelos professores Edward Hermann, do Departamento de Informática da PUC-Rio, e Lew Gordeev, da University of Tübingen — uma das onze universidades alemãs do German Initiative for Excellence in Research —, conseguiu fechá-lo com uma prova completa. 

 

Na sexta-feira (18), em live transmitida pelo youtube do DI às 15h, Hermann apresentará o trabalho, publicado no periódico científicoBulletin of the Section of Logic”, que impactou a comunidade da área. No seminário “Compressão de provas lógicas e a conjectura NP=PSPACE”, o professor vai mostrar o resultado da pesquisa. “É um problema que ficou aberto durante algum tempo. Usamos as técnicas de uma área que veio da fundamentação da matemática e da filosofia e acabou parando na computação”, explicou.

 

O público poderá verificar ao vivo como a prova é validada na palestra, que relaciona diferentes temas, como a teoria da prova, lógica e algoritmos. “Ao conseguir mostrar que provas na lógica proposicional podem ser curtas sempre, você prova que CONP está dentro de NP. E a principal ferramenta para demonstrar isso foi perceber que provas grandes, que demandam muito tempo na verificação, têm seu grau de redundância proporcional ao seu tamanho”, disse Hermann.

 

Esta é a segunda semana da série de lives do DI, que estreou sexta (11), com o professor Hélio Lopes apresentando o seminário “Pesquisa em Ciência de Dados: A Escalada para a Valorização dos Dados”. O evento alcançou mais de 100 pessoas assistindo simultaneamente e segue disponível no canal do DI no Youtube. Não perca o próximo, dia 18 às 15h!

 

Vestibular 2021: Departamento de Informática da PUC-Rio tem excelência no ensino e aposta em inovação

‘A PUC está definindo novos patamares de qualidade para ensino superior em modo online’, afirma Markus Endler, diretor do DI

 

O novo coronavírus fez o mundo parar em 2020. Com o isolamento social, escolas e universidades se depararam com o desafio das aulas on-line. Mas na PUC-Rio, o time de Ensino à Distância (EAD), unindo esforços de professores e alunos, ofereceu 10,8 milhões de ambientes virtuais de aprendizagem, entre aulas, seminários, debates, tutoriais e webinars. Esse resultado explicita a excelência e o comprometimento da instituição, que está com inscrições abertas até 28 de setembro para o Vestibular 2021 para cursos presenciais.

“O mais impressionante é que tudo foi preparado em uma semana. Em 13 de março, recebemos a comunicação da reitoria de que a PUC não teria aula presencial, então tivemos uma semana livre para preparar tudo para as aulas on-line. A equipe do ambiente de aprendizagem on-line fez um trabalho excelente, de forma muito competente e rápida”, contou Markus Endler, diretor do Departamento de Informática da PUC-Rio. 

Essa transição em tempo recorde permitiu aos alunos concluir o primeiro semestre no prazo e manter os números de  matrículas com entrada de novos alunos neste segundo semestre. Os formandos de 2020.1 conseguiram todos concluir seus cursos e terão em setembro as suas festas de formaturas – todas no formato de videoconferência.

No total, foram 2.800 aulas gravadas em vídeo, 57.000 aulas ou reuniões por videoconferência e 153 mil interações no primeiro semestre. Para Endler, o êxito da estrutura montada está fazendo a diferença e garantindo o aprendizado. “Neste segundo semestre os alunos continuam se matriculando em um grande número de disciplinas. O mais impactante é que são 2.800 cursos ou disciplinas que foram tocados online. Todos acreditamos que a PUC está definindo novos patamares de qualidade do ensino superior online”.

Vestibular 2021 terá provas online

Por causa da pandemia, as provas do ENEM foram adiadas para 17 e 24 de janeiro de 2021, e ainda assim muitos estudantes que pretendem entrar para a graduação têm dúvidas sobre como ingressar no ensino superior e iniciar os estudos. Na PUC a expectativa é de que no próximo ano as aulas presenciais sejam retomadas, com todos os recursos adicionais online. São três as formas de acesso:

  • Classificação pelas provas do Vestibular 2021, que serão on-line em 25 de outubro e 1º de novembro. Para evitar falhas ou problemas, de 18 a 20 de outubro de outubro a haverá testes de simulação das provas on-line.
  • Aproveitamento do resultado do candidato no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) realizado entre 2015 e 2019.
  • Aproveitamento do resultado do candidato em um dos Exames Internacionais – Abitur, Bac (Baccalauréat Général) ou IB Diploma (International Baccalaureate Diploma Programme).

Dentre os diversos cursos oferecidos pela PUC-Rio, o Departamento de Informática tem as graduações em Ciência da Computação, coordenada pelo professor Ivan Mathias Filho; e Engenharia da Computação, coordenada pela professora Noemi de La Rocque Rodriguez.

Bolsas de Estudo

Segundo Endler, cerca de 60% dos alunos da PUC têm algum tipo de bolsa de estudos oferecida pela instituição, e essa política de inclusão vai continuar. “A PUC é inclusiva, e consideramos importante ter alunos de diferentes classes sociais, etnias etc. É uma universidade sem fins lucrativos, mas que tem como missão ter máxima excelência no ensino e na pesquisa”, disse. A PUC dispõe de bolsas de estudo em diferentes modalidades: por Desempenho Acadêmico, bolsas Pró–Licenciatura, Bolsas Filantrópicas e Bolsas PROUNI, essas últimas para as famílias que não podem arcar com os custos das matrículas.

Data Science: ‘É importante saber falar a língua dos dados’, diz Hélio Lopes, em live

Cientista de dados deve ser criativo, ter mente aberta e analítica, interesse humano e saber negociar

Para atingir a transformação digital, é importantíssimo uma mudança cultural. Foi com esse conceito que o professor Hélio Lopes, do Departamento de Informática (DI) da PUC-Rio, começou sua fala no seminário “Pesquisa em Ciência de Dados: A Escalada para a Valorização dos Dados”, transmitido ao vivo pelo Youtube na última sexta-feira (11). Com mais de 100 participantes conectados simultaneamente, o evento marcou a estreia da série de lives do DI como um sucesso e segue disponível online.

“As empresas estão todas interessadas em transformação digital. Ainda mais agora, neste período de pandemia, em que se verificou que automatizar processos, melhorar a comunicação de uma forma digital entre as pessoas com o uso de tecnologia é algo muito importante”, disse Hélio, ao apresentar o tema. Ele ressaltou “falar a língua dos dados” é hoje, para muitas profissões e setores da indústria, uma habilidade tão necessária quanto foi o domínio da língua inglesa no século passado.

Com o objetivo de transformar dados em informação e esta, por sua vez, em conhecimento, a Data Science — que foi traduzida para o português como “ciência de dados”, mas segundo o professor melhor seria ser chamada de “ciência por dados” — tem múltiplas aplicações. Com diferentes fundamentos e técnicas, abarca desde aplicativos como Waze até um sistema de busca semântica em cenas de novela através de reconhecimento facial. 

“Você cria uma ontologia, um sistema de acesso à base de dados, de forma eficiente. Mas para isso tem que ter um algoritmo que consiga realmente reconstruir sem erro dentro desse contexto o reconhecimento de cada artista em cada cena de todas as novelas do legado que existe na Globo, por exemplo”, disse Hélio. Esse projeto, “Globo Face Stream: A System for Video Meta-data Generation in an Entertainment Industry Setting”, foi desenvolvido pelo DI da PUC-Rio com alunos que atuam na Globo.com e recebeu o prêmio “Best Paper Award Certificate” neste ano.

Habilidades do Cientista de Dados

Lopes disse que, no Departamento de Informática da PUC, “ao formar esses novos cientistas de dados, queremos formar um líder em ciência de dados”. E elencou as habilidades necessárias para esse ideal de profissional, que precisa: 

  • Ter mente aberta
  • Ser criativo
  • Ter interesse humano
  • Ter poder analítico
  • Capacidade de fazer negócios

A combinação desses fatores em um cientista de dados atende ao maior interesse da indústria, que é melhorar seus negócios com o uso de dados para auxiliar as tomadas de decisão, segundo o professor. 

Dando sequência à série de lives do DI, que vai até dezembro, na próxima sexta (18), às 15h, o professor Edward Hermann falará sobre “Compressão de provas lógicas e a conjectura NP=PSPACE”, no YouTube do DI PUC Rio. Não perca!

Hélio Lopes abre série de lives no YouTube do DI da PUC, nesta sexta (11)

Professor falará sobre valorização da Ciência de Dados no YouTube do DI

Informação é poder. No mundo digital, os dados são cada vez mais uma segunda linguagem imprescindível, que transforma pessoas, processos e tecnologia. Fazem parte da nossa vida diária, e o desafio é transformar esses dados em informações e, em seguida, em conhecimento. Na era da tecnologia, de evoluções permanentes e aceleradas, tudo isso passa pela Ciência de Dados. Na fronteira das transformações, é uma das áreas profissionais mais valorizadas atualmente.

É sobre esse universo da Ciência de Dados, com aplicações quase infinitas, que Hélio Lopes, professor do Departamento de Informática (DI) da PUC-Rio, vai falar no seminário “Pesquisa em Ciência de Dados: A Escalada para a Valorização dos Dados”, no YouTube do DI nesta sexta às 15h. Clique aqui para acompanhar. Ele inaugura uma série de lives sempre nesse dia da semana e horário, sobre temas relacionados ao departamento. Com a pandemia, as atividades presenciais foram transferidas para o mundo virtual, e todos os interessados podem acompanhar as palestras transmitidas ao vivo.

“A área de Ciência de Dados estuda como transformar dados em informação, e informação em conhecimento. Ao meu ver, essa área será cada vez mais requisitada, porque todos os setores produtivos do país estão querendo, cada vez mais, usar dados para auxiliar na tomada de decisão”, disse Hélio Lopes.

A Ciência de Dados é capaz de relacionar, classificar e trazer à tona informações antes perdidas em um emaranhado de bancos com bilhões de pequenos dados aparentemente desconexos. Serve para a administração pública e as empresas privadas reduzirem e aprimorarem gastos, encontrarem erros e gargalos e vislumbrarem melhores práticas.

Suas aplicações variam da análise de dados eleitorais e predição de decisões de tribunais, data mining e otimização de linhas de ônibus, só para citar alguns projetos em que o próprio Hélio Lopes já esteve envolvido com suas equipes de alunos e colaboradores nos laboratórios do DI da PUC, em extensa lista de parcerias com a indústria.

Um desses desafios, em que guiou os alunos de um curso de pós-graduação sobre Mineração de Processos, foi o vencedor internacional do Business Process Intelligence Challenge 2017, em Barcelona (Espanha), na categoria Acadêmica. A partir de um arquivo com 31.000 pedidos on-line de empréstimo de um banco holandês – com dados dos clientes, lista de sequências de atividades do processo de análise dos pedidos e informações sobre ofertas aos clientes – o grupo analisou os dados, respondeu a perguntas do banco e recomendou mudanças no processo.

Da ‘incompetência inconsciente’ à ‘competência inconsciente’

As grandes empresas privadas estão de olho nesse valioso conhecimento e correndo para se adaptar e se transformar digitalmente, avançando na área de Ciência de Dados. Percebem que precisam sair, na maioria dos casos, da posição de “incompetência inconsciente”, como Lopes define – referindo-se ao desconhecimento sobre o quão desprovidas estão de ferramentas na área – para o último estágio de evolução, a “competência inconsciente”, em que se domina o processo completamente, e a máquina automatiza tudo e entrega os dados necessários.

Entretenimento digital, Machine Learning e Internet das Coisas, entre outros, são os temas das palestras seguintes, programadas até dezembro. Em 18 de setembro, o professor Edward Hermann falará sobre “Compressão de provas lógicas e a conjectura NP=PSPACE”. Os seminários serão exibidos às sexta-feiras, às 15h, no YouTube do DI PUC Rio.

“O objetivo dos ciclos de seminários ao vivo da pós-graduação em Informática é disseminar conhecimento e ao mesmo tempo apresentar as áreas de atuação dos nossos professores pesquisadores. Desta maneira, serve como um canal de aproximação das nossas pesquisas com a sociedade. As palestras serão de interesse direto para futuros alunos, profissionais de TI e pesquisadores da área de computação, que queiram se manter constantemente atualizados em relação ao estado da arte das diferentes áreas da computação”, afirmou o coordenador da pós-graduação Marcos Kalinowski.