Sérgio Lifschitz

Professor associado da PUC-Rio, Sérgio Lifschitz tem como ênfase o trabalho em Banco de Dados. Neste meio, seu principal campo é o da Bioinformática, fazendo pesquisas em seu laboratório, o BioBD. Neste ambiente ele tem enfoque apenas em pesquisas, formando parcerias com grandes institutos da área, como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).  Além das pesquisas, Sérgio também desenvolve projetos em paralelo com outras diversas áreas, não se limitando ao campo científico. Sérgio se graduou em Engenharia Elétrica (1986), fez Mestrado no mesmo setor pela PUC-Rio (1987) e  se tormou doutor em Informática pela École Nationale Supérieure des Telécommunications (ENST Paris) em 1994.

Marcus Poggi

Marcus Poggi é professor associado da PUC-RIo e tem como principal area de atuação a Ciência da Computação com ênfase em Teoria Computacional e Otimização e Raciocínio Automático. Nestes setores faz pesquisas sobre Automação Industrial, Sistemas de Apoio à Decisão, Pesquisa Operacional, Projeto e Análise de Algoritmos e as desenvolve a partir do laboratório Galgos. Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1983), mestrado em Engenharia Elétrica também pela PUC-Rio (1988) e doutorado em Matemática Aplicada pela Ecole Polytechnique de Montreal (1993).

Edward Hermann Haeusler

Edward Herman Haeusler é professor associado da PUC-Rio e tem como area de atuação a Ciencia da Computação voltada a Computabilidade e Modelos de Computação. Nesse setor pesquisa teoria da prova, proof theory, teoria das categorias, semântica formal e Lógica. Possui graduação em Matemática pela Universidade de Brasília (1983), mestrado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1986) e doutorado em Informática também pela PUC-Rio (1990).

Alessandro Garcia

Possui Doutorado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2004). Atuou como Professor Assistente da Universidade de Lancaster (Inglaterra) de Fevereiro 2005 a Janeiro 2009.
Atuou como membro do Corpo Editorial de dois dos principais periódicos internacionais da sua área: IEEE Transactions on Software Engineering e Journal of Systems and Software.  Ele tem sido convidado frequentemente para os Comitês de Programa e/ou Comitês de Organização das principais conferências internacionais de Engenharia de Software e áreas afins, tais como ICSE, FSE, ICSME, MODELS, ICPC, ESEM, e várias outras. Ele recebeu vários prêmios, distinções e reconhecimentos, tais como Melhor Dissertação de Mestrado de 2000 (Sociedade Brasileira de Computação), Melhor Pesquisador do Ano (Lancaster University, 2006), Jovem Cientista do Nosso Estado (FAPERJ, 2009 e 2013), Cientista do Nosso Estado (FAPERJ, 2016) e Membro Afiliado da Academia Brasileira de Ciências (ABC, 2009 a 2014). Vários de seus artigos receberam distinções nas principais conferências internacionais da sua área, tais como o “ACM Distinguished Paper Award” do ICSE 2014. Possui várias parcerias atulamente com outros grupos de pesquisa internacionais nos EUA, Inglaterra, Alemanha e Argentina. Seus projetos de pesquisa são financiados por agências de fomento — CNPq, CAPES, FAPERJ e Newton Fund — e por parceiros da indústria de software.

 

Alberto Barbosa Raposo

Professor associado da Puc-Rio, Alberto B. Raposo tem como ênfase a área de Computação Gráfica e a Interação Humano-Computador. Neste meio, aplica esses conceitos em “jogos sérios”, programas de realidade virtual sem o intuito de entreter, mas sim auxiliar profissionais de diversos campos em seus trabalhos. Este desenvolvimento é feito por meio do laboratório que coordena projetos do Instituto Tecgraf de Desenvolvimento de Software Técnico-Científico da PUC-Rio. Neste, aplica suas pesquisas no mercado, criando jogos para diversos setores, desde a engenharia do petróleo até a fisioterapia, tendo, em alguns casos, parcerias com grandes empresas como a Petrobras. Alberto cursou a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde se graduou em Engenharia Elétrica (1994), fez Mestrado (1996) e seu Doutorado (2000).

Bruno Feijó

Bruno Feijó é Professor Associado do Departamento de Informática do CTC/PUC-Rio, pesquisador CNPq Nível 1, diretor do ICAD/VisionLab/PUC-Rio (Laboratório de Visualização, TV/Cinema Digital e Games), coformulador do Curso Multimídia para Ensino Médio Profissionalizante do NAVE/Oi Futuro (2008), cofundador da Comissão Especial de Jogos e Entretenimento Digital da Sociedade Brasileira de Computação (2002), PhD pela University of London/Imperial College (1988) e Engenheiro pelo ITA (1975). Trabalhou vários anos na indústria, na área de CAD (Computer-Aided Design), antes de iniciar seu doutorado em Londres (UK) e ingressar no Departamento de Informática da PUC-Rio em 1988 no grupo de Computação Gráfica. Ele ajudou a criar a comunidade acadêmica de Jogos e Entretenimento Digital no país – uma área até então alijada da academia. Ele também é um dos fundadores do simpósio SBGames. Bruno Feijó orientou mais de 15 teses de doutorado e 40 dissertações de mestrado. Ele escreveu mais de 30 artigos em periódicos, 12 capítulos de livros e 70 artigos em congressos. É autor de um livro didático para ensino de programação usando jogos. Vários de seus trabalhos com seus alunos têm sido reconhecidos através de prêmios nacionais e internacionais. Seus alunos também têm atraído a atenção de venture capital (nacional e internacional) para criação de startups. Seu interesse atual de pesquisa está em trabalhos interdisciplinares nas áreas em que é pioneiro no Brasil: animação, efeitos especiais, entretenimento digital e jogos. Seus estudos e propostas para inovação e educação vão do ensino médio a instituições de pesquisa e incubadoras de empresas, sendo alguns de seus trabalhos utilizados como balizadores de políticas públicas nos setores de visualização e do audiovisual. Foi editor da série Media Technology da Elsevier, com 30 volumes (2010-2012) sobre tecnologia para novas mídias digitais.Sua atuação em novas tecnologias está presente em cenas de efeitos especiais em várias produções para a televisão e em protótipos inovadores para TV/Cinema Digital. Atualmente Bruno Feijó é membro da SBC e da ACM.

Simone Diniz Junqueira Barbosa

Professora associada do Departamento de Informática da PUC-Rio, Simone Diniz Junqueira Barbosa atua na área de Interação Humano-Computador. Pesquisadora nível 2 do CNPq, seus interesses de pesquisa incluem atualmente: exploração e análise visual e narrativa de dados; engenharia semiótica; design de sistemas interativos com base em modelos; e meios de aumentar a qualidade de uso de sistemas interativos em diversos domínios, através de adaptação, mecanismos de analogia e outras técnicas de inteligência artificial.

Marcelo Gattass

Professor titular da PUC-Rio desde 1992 e diretor do Instituto Tecgraf, Marcelo Gattass tem como ênfase em suas pesquisas  a área de Processamento Gráfico, atuando principalmente nos seguintes temas: Visualização, Simulação Numérica, Realidade Aumentada, Modelagem Geométrica e Visão Computacional. Além disso, aplica-as em projetos de seu laboratório, auxiliando os profissionais de diversos setores, como medicina e engenharia do petróleo, na solução de seus problemas. Marcelo possui graduação (1975) e mestrado (1977) em Engenharia Civil pela PUC-Rio e doutorado Ph.D. (1982) em Engenharia Civil pelo Programa de Computação Gráfica da Cornell University, USA. 

Hélio Côrtes Vieira Lopes

Hélio Lopes realizou a sua formação acadêmica na PUC-Rio. Primeiramente, ele se formou em Engenharia de Computação no ano de 1990. Em seguida, ele completou seu Mestrado em Informática na área de Computação Gráfica em 1992. Por fim, ele obteve o título de Doutor em Matemática em 1996. Hélio é professor da PUC-Rio desde 1996, ele iniciou sua carreira no Departamento de Matemática, e no ano de 2012 começou uma nova jornada no Departamento de Informática. Vale mencionar, que no ano de 2001, ele também trabalhou no Departamento de Ciência de Computação da Universidade de PURDUE nos EUA. Ele gosta de desenvolver e aplicar técnicas avançadas de matemática e computação para resolver problemas que possuam relevância industrial e científica. Suas publicações estão concentradas em computação gráfica e modelagem computacional. No momento, ele está particularmente interessado na pesquisa em Data Science num contexto de computação em nuvem. Ele também tem interesse hoje em quantificação e visualização de incertezas e suas aplicações na indústria. Hélio vem interagindo com a indústria não só desenvolvendo sistemas, mas também lecionando cursos especializados. PETROBRAS, VALE, BANCO DO BRASIL, BNDES e GLOBO.COM são exemplos de empresas com quem ele interagiu. Hélio já orientou mais de 40 alunos de pós-gradução. Ele publicou livros, artigos em conferências internacionais e em periódicos científicos de primeira linha, tais como: Computers in Industry, Neurocomputing, Advances in Engineering Software, Engineering with Computers, Computer Physics Communications, Journal of Computational Physics, IEEE Transactions on Visualization and Computer Graphics, Computer Graphics Forum, Computers & Graphics, Computer-Aided Geometric Design, Computational Geometry: Theory and Applications, Insurance: Mathematics and Economics, entre outros. Ele é editor associado do periódico Nonlinear Theory and Its Applications do IEICE (The Institute for Eletronics, Information and Computer Engineering). Ele é membro da Association for Computing Machinery (ACM), da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC). Ele foi eleito presidente do Comitê Especial de Computação Gráfica e Processamento de Imagens da SBC pela terceira vez.

Eduardo Sany Laber

Eduardo Laber fez sua formação acadêmica na PUC-RIO. Concluiu sua graduação em Engenharia de Computação em 1996, seu mestrado em Informática em 1997 e seu doutorado em 1999. A sua pesquisa durante este período foi no tema de compressão de dados.

De meados de 1999 até o início de 2001 ele foi professor colaborador da COPPE-SISTEMAS, UFRJ e, desde 2001, é professor do Departamento de Informática da PUC-Rio. Eduardo foi cientista visitante por dois meses em Carnegie Mellon nos anos de 2001 e 2002.

A sua pesquisa tem como foco principal o projeto e a análise de algoritmos com garantia teórica de desempenho para problemas que emergem em diferentes áreas como compressão de dados, inteligência artificial e finanças, entre outras.

Devido ao seu interesse em resolver problemas industriais ele busca, também, se manter atualizado sobre os avanços recentes nas áreas de aprendizado de máquina e otimização. Nestes últimos dois tópicos ele ministra cursos, orienta dissertações e realiza projetos visando a transferência de tecnologia para empresas.

A pesquisa científica do professor Eduardo tem sido reconhecida pela comunidade científica tendo em vista suas publicações em alguns dos principais periódicos/conferências da área de computação como: Journal of the ACM, ACM Transactions on Information Systems, STOC, SODA e IEEE Data Compression Conference. Eduardo é pesquisador nível 1 do CNPq e membro afiliado da Academia Braileira de Ciências.

Eduardo já orientou várias dissertações de mestrado e 4 teses doutorado, três delas agraciadas com prêmios, de âmbito nacional, pela Sociedade Brasileira de Computação. A sua política consiste em trabalhar com um número reduzido de alunos de modo a poder garantir uma troca mais intensa com seus orientandos.

Eduardo tem uma preocupação bastante grande em ministrar bons cursos já que entende que esta é uma das maiores contribuições de sua profissão. Por esse motivo, ele investe uma considerável parcela de seu tempo no aperfeiçoamento contínuo de material didático como listas, slides e apostilas.